quinta-feira, 26 de setembro de 2013

A Identidade da Poesia

Pode-se pensar, em primeira instância,
que poesia é apenas palavra criada
do mero prazer em dizer, se souber.

Engana-se. Cabe-lhe amar a mulher,
diz muito bem da saudade velada
ou da poesia própria e de sua fragrância.

Quando bem feita, desfila elegância.
Não necessita ser tão requintada,
basta que sua leitura dê prazer.

Agora, que venha quando vier.
Que não seja por capricho ou fachada.
Tampouco para atender mendicância.

Poesia não é encomenda, é circunstância.
Faz-se da ocasião mais apropriada,
nasce da conjuntura que lhe couber.

Se, conseguinte, ao poeta lhe aprouver,
e a sentir eminente, assinalada,
ela virá digna, sem exuberância;

Com seus versos todos em consonância
e sobre a folha, por fim, repousada
tal qual uma poesia deve ser.

4 comentários:

  1. Acho que li a idéia inicial desta poesia antes... Ela se tornou algo fantástico. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente leu!
      E muito obrigado pelas palavras!

      Excluir